quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

NÃO PERCA MAIS TEMPO! - VENHA PARA A EJA!


ejas3
O público-alvo da ação educacional, que oferece novas perspectivas de vida profissional e social, são pessoas com idade a partir de 15 anos que, por razões diversas, não tiveram a oportunidade de frequentar a escola ou de concluir os estudos.
Para integrar a Educação de Jovens e Adultos, os interessados devem se dirigir às instituições de ensino que ofertam este atendimento, onde será possível realizar a matrícula e obter informações sobre o curso que desejam ingressar, sejam eles de alfabetização, ensino fundamental, ou de ensino médio.
ejas4
Em 2014, todos os municípios foram atendidos, com registro do número de matrículas superando 20 mil inscritos. Fernanda Alves, responsável pela coordenação da EJA na SEE, explica que "é uma relação onde ambas as partes saem ganhando. Além de conseguir concluir os estudos e aumentar sua integração social, o aluno de EJA também aumenta suas perspectiva profissional".
Fonte: SEE - AC

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

REFERENCIAL CURRICULAR – MÓDULO IV – EJA ENSINO MÉDIO (QUÍMICA) - 2015

REFERENCIAL CURRICULAR MÓDULO IV EJA ENSINO MÉDIO (QUÍMICA)

CAPACIDADE

CONTEÚDO
PROCEDIMENTOS DIDÁTICOS (SUGESTÕES DE ATIVIDADES)

FORMAS DE AVALIAÇÃO

-  Reconhecer benefícios, limitações e aspectos éticos da biotecnologia, considerando estruturas e processos biológicos envolvidos em produtos biotecnológicos.
-  Identificar etapas em processos de obtenção, transformação, utilização ou reciclagem de recursos naturais, energéticos ou matérias- primas, considerando processos biológicos, químicos ou físicos neles envolvidos.
-  Associar alterações ambientais a processos produtivos ou ações da ciência e tecnologia à degradação ou preservação do ambiente.
-  Associar alterações, prejuízos, conseqüências e benefícios oriundos da radiatividade e da energia nuclear.
-  Compreender fenômenos decorrentes da interação entre a
    Relação de dados sobre a concentração de soluções expressas nas unidades: g/l e percentagem em massa.
    Classificação das soluções em diluídas ou concentradas, de acordo com a quantidade relativa entre o soluto e o solvente.
    Associação das reações químicas aos processos exotérmicos e endotérmicos, buscando também a diferenciação entre esses processos.
    Realização de cálculos para análise da lentidão ou rapidez das ocorrências de reações químicas, levando em consideração a grandeza velocidade.
    Reconhecimento da importância do deslocamento do equilíbrio para vários processos biológicos.
    Classificação através de cálculos logaritmos das soluções em ácidas, básicas ou neutras
    Compreensão da produção,
    Discussão sobre o uso, a composição e apresentação da fórmula química dos diferentes tipos de água (água mineral, água destilada, água sanitária, água boricada, água doce, água do mar, entre outros).
    Visita (se possível) à Estação de Tratamento de Água da região para observação e registro dos processos químicos e físicos aplicados para tratamento de água de abastecimento.
    Leitura de textos retirados de revistas e/ou internet sobre a poluição das águas de rios, principalmente metais pesados, suas conseqüências e medidas de concentração de risco em ppm.
    Procedimentos para preparação de soluções cuja concentração se relaciona à saúde pública, como nos casos de soro caseiro e desinfecção de água por cloração com água sanitária.
    Atividade prática para investigação de concentração de soluções através da análise volumétrica (titulação).
    Apresentação de substâncias que são solúveis em água (polaridade) com exemplos práticos e a função do sabão.
    Levantamento de processos exotérmicos e endotérmicos que ocorrem no cotidiano e a percepção da energia envolvida na
     Observação, registro e análise:
ØØ da compreensão sobre a existência de diferentes soluções no nosso cotidiano;
ØØ da capacidade de resolver problemas envolvendo cálculos de concentração de soluções;
ØØ da participação dos alunos nas problematizações e demais discussões que surgirem onde contribua com ideias e inferências;
ØØ de anotações de sínteses das discussões a respeito dos temas em estudo;
ØØ da resolução de problemas e exercícios e, participação em proposições coletivas;
ØØ de desenhos e gráficos explicativos de fenômenos.
    Relatórios de visita à Estação de Tratamento de Água.
    Relatório de aulas práticas realizadas em laboratório de ciência ou outrem.
    Resolução de atividades em grupo e individuais.
    Provas escritas e outras estratégias de avaliação que



radiação e a matéria em suas manifestações em processos naturais ou tecnológicos, ou em suas implicações biológicas, sociais, econômicas ou ambientais.
funcionamento e a aplicação prática das pilhas.
    Compreensão das semi- reações catódicas, anódicas e a reação global, representada por equações e anotações químicas esquemáticas, conforme convenção da IUPAC.
    Distinção entre os diversos tipos de eletrólise.
    Identificação de implicações sociais, ambientais e/ou econômicas em situações que envolvam transformações químicas e de energia.
    Compreensão sobre os tipos e os efeitos que as radiações podem causar.
transformação.
    Aula prática para análise de reações exotérmicas e endotérmicas do cotidiano, com observação e percepção da energia envolvida no processo e a transformação química ocorrida.
    Registro e análise do valor calórico de alimentos consumidos diariamente pelos alunos.
permitam diagnosticar se os alunos:
ØØ compreendem os termos utilizados na Química sobre os conteúdos estudados;
ØØ distinguem reações endotérmicas das exotérmicas com base na análise de uma equação termoquímica;
ØØ relacionam variação de entalpia estequiometricamente com dados de massa de reagentes ou produtos;
ØØ aplicam a lei de Hess organizando corretamente as equações termoquímicas;
ØØ compreendem a importância de observam o valor calórico dos alimentos para manutenção de uma vida saudável.
     Elaboração de texto sobre alimentação saudável e análise de algumas refeições diárias dos alunos da turma.
-  Distinguir a Química Orgânica da Inorgânica através das diferentes linguagens e expressões.
-  Utilizar códigos e nomenclatura da química para caracterizar materiais, substâncias ou
    Identificação das diferentes funções orgânicas a partir de seus grupos funcionais, diferenciando suas propriedades e funções.
    Construção de fórmulas estruturais e moleculares das diferentes funções orgânicas.
    Classificação das cadeias
     Sempre iniciar as aulas com uma problematização sobre o tema a ser abordado ( questionamentos, imagens, pequenos vídeos, etc.) de maneira que os alunos expressem seus conhecimentos sobre o assunto.
ØØ Cópias da reportagem "O Vizinho ao Lado", publicada em Veja de 24 de outubro de 2012, para discussão sobre
     Observação, registro e análise:
ØØ das representações de fórmulas estruturais, observando os tipos de ligações existentes nos diferentes compostos de carbono;
ØØ da capacidade de diferenciar as diferentes funções orgânicas dos compostos através de seus grupos funcionais;



transformações químicas.
-  Diferenciar e aplicar as tecnologias associadas à química relevante para sua vida.
-  Avaliar impactos em ambientes naturais decorrentes de atividades sociais ou econômicas, considerando interesses contraditórios.
-  Interpretar a relação que os compostos orgânicos fazem uns com os outros a partir de suas propriedades.
carbônicas de acordo com suas disposições de números de carbonos, ramificação, de heteroátomos e de saturação.
    Obtenção de álcool etílico através da fermentação para obtenção de bebidas alcoólicas e combustíveis.
    Análise das propriedades de alguns compostos orgânicos como odor, cor e solubilidade em água, que permitem diferenciar alguns compostos de diferentes funções orgânicas como álcool etílico, acetona, querosene, essências artificiais de frutas e vinagre, relacionando os grupos funcionais com suas propriedades.
    Reconhecimento e aplicação de fórmulas estruturais, moleculares, funções orgânicas presentes e efeitos no organismo humano de agrotóxicos e pesticidas organoclorados (como o cupinicida pentaclorofenol) e organofosforados usados na agricultura e na indústria madeireira.
os compostos de carbono.
    Leitura, em fontes diversas, sobre funções orgânicas, importância social e econômica de alguns compostos.
    Elaboração de quadro síntese com funções orgânicas, grupos funcionais e particularidades da nomenclatura.
    Resolução de exercícios, em grupo, para nomear, construir fórmulas estruturais, descobrir fórmulas moleculares e identificar funções de compostos orgânicos.
    Pesquisa sobre produção de bebidas alcoólicas (fermentados e destilados) e sobre os efeitos no organismo humano. Socialização dos resultados das pesquisas através de seminários.
    Pesquisa sobre a fabricação do álcool.
    Situações de identificação de funções mistas em alguns compostos mais complexos como ácido lático, glicose, aminoácidos, neurotransmissores, remédios e drogas.
ØØ da habilidade de nomear e diferenciar compostos orgânicos com diferentes radicais (metil, etil, n-propil, isopropil e fenil, principalmente);
ØØ Registros escritos pelos alunos com síntese descritiva sobre a fabricação e os efeitos do álcool no organismo humano.
ØØ Síntese de pesquisas realizadas.
    Situações de cálculo, em grupo, do valor calórico de alimentos industrializados utilizando a embalagem como parâmetro e, comparação do valor obtido com o fornecido pelo fabricante.
    Provas escritas e outras estratégias de avaliação que permitam diagnosticar se os alunos:
ØØ sabem relacionar fórmulas estruturais com seu respectivo nome IUPAC.
ØØ distinguem as funções orgânicas presentes em diferentes compostos;
ØØ sabem aplicar cálculos de calorias